quinta-feira, 28 de junho de 2007

Ato Contra as Punições e Pela Negociação!

Ato Contra as Punições e Pela Negociação!
Hoje, 28/06, às 14:00, em frente à reitoria.
Concentração ao meio-dia no saguão do PB.

14 comentários:

Anônimo disse...

quem aqui é contra a PUNIÇÃO??? só esses babacas que se acham os heróis depois ficam chorando para não sofrerem as consequencias dos seus atos...

Vou propor uma deliberação:
- Opção 1: EU SOU CONTRA AS PUNIÇÕES.
- OPÇÃO 2: EU NÃO SOU CONTRA AS PUNIÇÕES.
- OPÇÃO 3: Abstenção.

Anônimo disse...

Opçao 2

os direitos dos grevistas acambam qdo eles atrapalhan os direitos das outras pessoas desfavoráveis a greve.

Anônimo disse...

Opcao 2...

SEM DÚVIDA!!!

Anônimo disse...

Opção 2!!!

Anônimo disse...

e tem gente que acha que nao deve punir...
http://noticias.uol.com.br/educacao/ultnot/estado/2007/06/28/ult4528u111.jhtm

Anônimo disse...

Por que esses pontos de exclamação no final de cada título de post? Que coisa mais PSTU...

T.F.F. disse...

Lamentável o maior movimento estudantil de muitos anos sair da DAC com o rabo entre as pernas "a partir do início das negociações cujo primeiro ponto é o das não-punições". E os Decretos? O maior movimento de estudantes de há muito tempo, presta um grande desserviço às suas causas.
Thiago Franco - Ciências Sociais Noturno 03

Anônimo disse...

os heróis da ocupação não sabiam pq invadiam (duvido que alguém saiba...) e no final nem eram tão heróis assim...
de qq jeito, não se justifica.
agora, eles terão que arcar com as consequências, para que coisas lamentáveis como invasões não ocorram mais na universidade

Anônimo disse...

A desocupação ocorreu por dois motivos igualmente covardes:
* a reitoria havia anunciado que até sexta-feira estaria pronto o dossiê sobre a invasão, com a lista dos culpados; logo, sair na quinta-feira foi um jeito de tentar abafar esse dossiê, que, espero, seja publicado amanhã
* os invasores perceberam que sua ocupação apenas fazia crescer a força dos estudantes de verdade da Unicamp, que começam a se organizar para não aceitar mais esse tipo de imbecilidade; temendo perder seus tradicionais focos de poder, DCE e politiqueiros afins abortaram a invasão da DAC enquanto o estrago ainda não é tão grande

herbert disse...

um período negro história da unicamp; os responsáveis não podem sair impunes desta, do contrário a revolta, que já é grande, só vai aumentar.

Aluno do IFCH disse...

OPÇÃO 2! Foi um movimento totalmente sem sentido, que não obteve qualquer resultado, sendo qualquer necociação dos pontos em protesto com a reitoria já poderiam estar em andamento. O fato é que o movimento deve repensar sua forma de agir, uma vez que nos encontramos mais em uma ditadura militar, esse tipo de violência é totalmente desnecessário.
Contra a partidarização dos centros acadêmicos e do movimento estudantil!!! E PELA VOLTA AS AULAS NO IFCH!!!!

Flávio. Ciencias Sociais 04

zeka disse...

Episódio da invasão na UNICAMP: manifestação de docentes Vivemos há muitos anos uma vida política nacional de Plena Democracia e de Estado de Direito. A falta de compreensão e de análise deste cenário é ignorância, ingenuidade ou má fé. É no ambiente acadêmico que combatemos a ignorância e suplantamos a ingenuidade. A atuação predatória de cidadãos que gozam de privilégios, ao promover invasão de espaço público, constranger servidores estaduais e impedir atividades administrativas, de ensino e pesquisa desta Universidade, constitui ação de má fé que extrapola os limites da lei, tangenciando o crime comum. A condição de jovens estudantes não credencia nem autoriza desvarios antidemocráticos, como o que presenciamos no recente episódio de invasão da DAC. Em outros tempos e em outras situações políticas adversas, mesmo os mais jovens, quando movidos pelo senso de reparo às injustiças sociais, analisavam e compreendiam o momento político vigente. Esta, sim, é condição que legitima movimentos - sejam estudantis, políticos ou sociais. A identificação clara de lideranças e o apoio dos pares são condições necessárias para dar credibilidade a qualquer ação. Não observamos estas características no movimento deflagrado pelos alunos. Os representantes docentes do CONSU signatários deste documento, fiéis à tradição de serem contra a violência tanto privada quanto de estado, não transigem ao exigir que qualquer protesto seja pacífico e com responsabilidade, sem ferir direitos de outrem. O clima de tranqüilidade e serenidade com o qual o CONSU vem tratando estas questões, o encaminhamento dado pelo Reitor e pró-reitores, atestam a estabilidade democrática reinante no campus. Defendemos o diálogo, mas não concordamos com os que desrespeitam a instituição e o equilibrado estágio democrático em que vivemos. Adalberto Bassi, Adílson Cardoso, Aureo Yamada, Claudia Bauzer Medeiros, Daniel Hogan, Eliane Moura da Silva, Etienne Samain, Euclides de Mesquita Neto, Fernando Schelini, George G. Kleiman, Lair Zambon, Léo Pini Magalhães, Lucila Chebel Labaki, Luiz Carlos Kretly, Maria Isabel Felisberti, Maria Luiza Silveira Mello, Mário Saad, Maurício Dario, Munir Skaf, Paulo Sérgio Saran, Saul Suslick, Thelma Cecilia S. Chiossi, Ulysses Cidade Semeghini, Vitor Baranauskas, Wirla Maria S. C. Tamashiro .

Thiago Franco disse...

e viva e Plena Democracia e de Estado de Direito(A)!

ps1:as exclamações estão aí para serem utilizadas pela língua portuguesa um pouquinho antes do pstu.

ps2: se informem, o pstu, o dce e os partidos em sua maioria eram contra as ocupações. podem ficar tranqüilos, a tendência é que todos eles se transformem em pts e daí vocês podem votar neles tranqüilinhos que dá tudo na mesma. estão todos no Estado de Direito(A).

Anônimo disse...

ps1:as exclamações estão aí para serem utilizadas pela língua portuguesa um pouquinho antes do pstu.

nãããããããão? sério?

ps2: se informem, o pstu, o dce e os partidos em sua maioria eram contra as ocupações. podem ficar tranqüilos, a tendência é que todos eles se transformem em pts e daí vocês podem votar neles tranqüilinhos que dá tudo na mesma. estão todos no Estado de Direito(A).

nãããããããão? sério?